Kanye West e Adidas Originals

No dia 12/02, Kanye West lançou sua primeira coleção para a Adidas Originals na New York Fashion Week. Não pretendo entrar na questão da persona que ele criou, da qualidade musical ou do último Grammy. O assunto aqui é roupa, sapatos e a estética do desfile.

Com fila A cheia de estrelas da música e da Moda, Kanye West mostrou porquê a Adidas o escolheu para essa parceria. A coleção Yeezy Season 1 foi apresentada por homens e mulheres (aparentemente não são modelos de passarela) com uma performance criada em colaboração com a artista Vanessa Beecroft, com quem o cantor trabalha há 8 anos.

_AG19247

A androginia foi um dos pontos fortes da coleção junto com o militarismo. Uma coleção ousada para uma parceria, principalmente de sportwear. Com paleta de cores bastante sóbria, ressalvando alguns pontos de cor, os modelos desfilaram usando bodies colados o corpo sobrepostos por tops de ginástica e leggings translúcidas (anos 90?), regatas, jaquetas bomber, suéteres destruídos e calças de moletom.

Entre os acessórios, mochilas, botas (!!) de canos curtos e altos, bolsas de lona e tênis com um olhar bastante atento aos materiais e design. Toda a coleção tem um apelo urbano mais forte, passando longe do clichê e preocupado com modelagens, texturas e conforto.

Em entrevista Kanye West disse ter se inspirado nas manifestações de Londres em 2011, que aconteceram enquanto ele criava as peças. “Eu queria criar algo melhor para vocês. Temos sido muito limitados. […]”. Segundo o cantor todas as peças estarão à venda (algo que não acontece sempre).

Dito isso, o que me levou, realmente, a querer mostrar para vocês a coleção é notar que mais alguém quer “oferecer” o que “queremos”. Há tempos a Moda vem caminhando para roupas andróginas, roupas com modelagens e propostas que te permitam simplesmente vestir o que lhe cabe, o que é do seu gosto, o que é seu objetivo apresentar naquele momento. A própria loja Selfridges deu o primeiro passo (como muitas vezes na História) e a partir do dia 12/03 apresentará suas roupas sem separação de gênero.

E na coleção do Kanye West, desde a forma como foi apresentada até nas próprias modelagens, é bem claro que há modelos em que não há essa separação como roupas “para homens” e “outras para mulheres”.

Gosto de Canela -

O encontro de duas "marcas" poderosas movimentou o primeiro dia da semana de moda de Nova York Inverno 2016 : Kanye West e adidas Originals apresentaram sua primeira parceria nessa quinta-feira (12.02). As peças femininas e masculinas da Yeezy Season 1 foram exibidas como uma performance criada em colaboração com a artista Vanessa Beecroft, com quem West trabalha há oito anos. + Veja todos os looks da coleção de Kanye West para adidas Originals O militarismo foi um dos pontos-chave da ...

Kim Kardashian usando peças da coleção. Queria sair assim pelas ruas no próximo Inverno

Além do “fator gênero”, como disse no início do texto, o cantor-estilista trouxe pessoas “comuns” para a passarela. E quando alguém apresenta uma coleção com modelos “normais” sempre me recordo do princípio dos desfiles de Moda.

 Nos primeiros desfiles com manequins, estes eram escolhidos de acordo com características das clientes das marcas (algumas chegavam a ser praticamente sósias) com o único objetivo de fazer as clientes se identificarem e perceberem como a roupa ficaria sem si mesmas.

E, por isso, a sensação que tenho quando vejo desfiles assim é que nós, cada vez mais, estamos querendo ver na passarela, ou nas revistas, modelos que se pareçam conosco, com nossos namorados e amigos ao invés “de patamares a serem alcançados” vestindo roupas que queremos em nossos guarda-roupas.

 Kanye West dessa vez parece ter acertado e nós, mesmo que não sejamos consumidores diretos desses produtos, saímos ganhando. É sempre importante que as marcas engrossem o coro para uma Moda mais atenta aos nossos sinais e necessidades.  

Para ver todos os looks do desfile clique aqui.


Anúncios

4 opiniões sobre “Kanye West e Adidas Originals

  1. mais um motivo pra eu te admirar. A MINA CURTE O YEEZY, MANOOO ❤ kkkkkk seloko
    esse povo de aquário é foda. Bom, acabei de assistir ao desfile e é aquilo que você disse: pegada militar, prezando o conforto sem muita definição de gênero e tudo mais. A questão das cores e da disposição dos modelos na apresentação foi muito legal, cara.

    As luzes, sombras and a nova música deixou tudo com um clima bem interessante, né? Adorei saber a inspiração dele. E sabe oq imaginei desses bodies? De serem uma segunda pele crua/neutra a fim de deixar as peças "mais elaboradas" em destaque, dando uma atenção maior a elas, tendeu? Tipo alguns que desfilaram só com uma jaqueta e bota. Sem muitas distrações, porém, sem estarem nus. Espero q tenha entendido UAHSUAHSA
    E bora sair com o look da Kim, menina? Eu topo =D

    E tudo do que ele falou no início da apresentação ("se eu ver uma oportunidade, vou atrás dela", "se trata de: enquanto eu estava na Terra, oq fiz pra ajudar?", "Eu quero q as pessoas sintam que é certo criarem e seguirem seus sonhos. Não quero q se sintam limitadas", "há uma falta de criatividade em todas as áreas de atuação, porque as pessoas têm medo" e pra fechar: "a gente consegue/pode fazer oq quiser".) me mostra mais uma vez que o Kanye é sim um cara preocupado em acrescentar algo mais, um temperinho pra fugir da mesmice, estagnação e tals

    êta comentário pequeno :3 ~sem falar os erros, pq tô escrevendo de madruga e cheia de sono~
    bejuu e adoro seus posts em geral. Manda mais (=

  2. Esse é o segundo texto sobre moda que leio aqui no seu blog e você escreve muito bem sobre o assunto! É concisa, mas destaca os pontos fortes. Adorei.
    Sobre os modelos: identifiquei um ou dois “modelos de verdade”, embora a maioria seja mesmo de “pessoas comuns”. Tem, por exemplo, uma modelo indiana (eu tenho o Instagram dela, mas não lembro o nome). Gostei da escolha dos modelos porque, talvez – eu pensei nessa possibilidade – sejam “os excluídos da NYFW”. Esse evento dificilmente contrata modelos negros, por exemplo. Tanto que, acho que ano retrasado, eles protestaram em frente ao local.
    Sobre o desfile em si: achei conceitual em excesso e se a intenção de West foi causar incômodo, ele conseguiu. É muito difícil inserir pessoas comuns em algo que não é um desfile convencional. Tinham meninos e meninas olhando para todos os lados e demorando em virar e ir embora – em alguns momentos, faltou sincronia. Eu gostei da proposta de androginia – e é assim que ambiciono me vestir, como quem não tem gênero, ou quem tem todos os gêneros, como quem não precisa ser identificdx por um gênero.
    Abraços.

    http://ninagaldina.tumblr.com/tagged/blog

  3. Olha, é muito bom mesmo ver uma coleção assim, ver que as coisas estão mudando. Eu adorei saber sobre isso, coisa que eu não ficaria sabendo de forma alguma, se não tivesse visto por aqui, ou demoraria um pouco. Gostei muito das peças. Muitos dos sites de calçados que eu tô entrando, quando acesso masculino e feminino, geralmente são os mesmos sapatos, mudando apenas a numeração. Tô gostando de ver.

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: