Eu só queria comer uma coxinha

Ontem vivi uma das coisas mais bizarras da minha vida e por isso abri essa exceção aqui. Não costumo escrever sobre coisas tão rotineiras, mas ontem eu estava com muita vontade de comer uma coxinha. É. Coxinha. Não era pastel, batata frita, churros, burritos, sushi, nada, era apenas uma coxinha.

Saí do trabalho pensando: “Preciso de uma coxinha e não deve ser tão difícil conseguir, aliás é coxinha, né?“. Fui até uma padaria perto do trabalho e ali já começou o meu drama: não tinha coxinha e nem iriam fazer mais. Eram 7 da noite. Fui a outra padaria e nada de coxinha.

Pras cafeterias aprenderem a fazer coxinhas e começarem a vendê-las no Brasil

Decidida a comer a bendita da coxinha peguei o trem e fui até o Shopping Morumbi pensando na Casa Pilão, a cafeteria da Pilão que vende tapioca, coxinha, empada, bolos, só coisas com a cara do Brasil, sabem? Fui até lá, me acomodei na mesa (a coxinha de lá é maravilhosa, amigos), até me dar conta, olhar pro balcão e ver que não tinha mais nenhuma coxinha, perguntei a atendente e a resposta foi a mesma: “Não temos mais coxinha e não vamos mais fazer hoje“. Encarei a atendente uns 3 segundos e fui embora tentando adivinhar onde diabos eu iria comer uma coxinha num shopping.

Fui a todas as cafeterias do shopping e ninguém vendia uma coxinha. Só via pipocas gourmet, croissant, pão de queijo, fogaças, os diabos do mundo inteiro, mas nada do salgado mais popular do país.

Eram 8 da noite e eu decidi ir para o Market Place, um shopping ao lado, na tentativa de encontrar em alguma cafeteria, uma solitária coxinha que fosse.

Lanchonetes, docerias, cafeterias, praças de alimentação, ninguém vendia coxinha. 

Se eu quisesse eu conseguiria comprar um macaron francês, crepes, sovertes italianos, sushis, comida árabe, comida alemã, churros com coberturas e recheios diversificados, pipocas com ervas finas, comida sem gluten, sem lactose, sem carne, comidas do mundo inteiro, menos uma simples e brasileira coxinha frita.

Por fim, mais de uma hora procurando coxinha, a fome batendo forte, parei num restaurante americano e com meus tickets de promoção comprei um hamburguer com onion rings, barbecue e bacon. Vivi um momento bizarro de conseguir com toda facilidade do mundo comer um lanche americano no Brasil, ao invés de um salgado brasileiro.

Ilustração por Paulo Engler


Sigam no Facebook e no Bloglovin | Assine a newsletter e receba um resumo mensal do que rolou por aqui!

Anúncios

13 opiniões sobre “Eu só queria comer uma coxinha

  1. Bizarro, bizarro. Já vou avisar minha irmã dessa frustração porque ela ama coxinha com catupiry hahaha
    Será que isso rola também com pão na chapa? Não gosto de ovos com bacon.

  2. ai que sofrência :~ e fiquei morrendo de vontade de comer coxinha agora. ainda bem que aqui não gourmetizaram tanto as coisas e ainda existem coxinhas everywhere (eu espero)

  3. Isso também ja aconteceu comigo. Eu sou louca pela coxinha do fornalha e me deu desejo as 8 da noite e não moro nada perto de nenhum fornalha entao fui procurar alguma coxinha aqui pela área. Acontece que as coxinhas acabam muito rápido, o atendente da Lecadô me disse, e depois de certo horarios eles nao fritam mais pra não ficar velha pro dia seguinte. Então, geralmente, depois das 6 horas, nada de coxinha pra você 😦

  4. Muito bom! Mostra esse post para minha mãe… Ela vai ter um troço! hahahahaha.
    Ela ama coxinha! Vou confessar que não é meu “aperitivo” predileto. rs

    Olha olha olha! Agora espero você em minha humilde residência… Quando puder passe por lá e deixe sua marca! 🙂
    http://www.andrehotter.com
    HuG!

  5. Adorei o post. Acho que esse drama que você passou serve para refletir sobre o nosso consumo, seja alimentício ou cultural. Parece que estamos abandonando nossas raízes, precisamos pensar um pouco mais de maneira “atropofargica” ao lidarmos com a cultura do outro.

    Beijão!
    Debb
    http://www.gatoqueflutua.wordpress.com

  6. AAAAAAAAAAAAAA QUE TEXTO!
    Ps. Acabei de comer coxinha 🙂 as vezes morar em uma cidade não tão cosmopolita assim tem suas vantagens! Sempre que viajo a cidadezinhas me delicio com os docinhos e salgadinhos feitos em casa com muito amor e pouco mao de vaqueza 🙂 Beijo

  7. Putz, que texto ótimo! Uma espécie de alfinetada sutil baseada numa experiência do dia a dia. Eu também já passei por essas de não encontrar coxinha mas ver fast foods gringas everywhere… gera até um questionamento aqui na minha mente.

  8. AH CARA HAHAHAH mas vc resolveu ir pro shopping MORUMBI e queria encontrar coxinha, bolovo e risolis por lá? HAHAHAH <3333 tem que ir pro centro comer lanche de carne louca por 2 reais e ainda vem um suco hahahahah

  9. Nossa, sofri por aqui com essa saga da coxinha… E fiquei esperando um super final feliz, que não chegou. Mas peloamor, você comeu coxinha no dia seguinte, né??? Hahaha!

  10. Eu moro em cidade do interior é super fácil encontrar coxinha. Mas acho dever ser horrível sair atrás de um lanche tão gostoso que é a coxinha e não consegui encontrar. Infelizmente esses fast food estão ganhando mais força no nosso país, e os lanches tradicionais está sumindo, triste realidade!
    Beijos,
    http://www.dosedeilusao.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: