Tarântula – Thierry Jonquet

Aqui está um texto que estou há tempos para escrever. Desde que trabalhei numa livraria (e isso foi ano passado) eu fiquei louca para comprar esse livro que só li em Março desse ano e desde então estou para falar aqui sobre ele.

Tarântula, romance francês foi publicado em 1984 e recentemente serviu de inspiração para o filme “A Pele que Habito do Almodóvar lançado em 2011. Porém, engana-se quem pensa que vamos ler exatamente a obra cinematográfica. Nas páginas, as tensões são bem diferentes. A história, contada de maneira fragmentada, traz de maneira muito direta, mas muito bem escrita, a relação entre sequestrador e cativo, dominador e dominado.

Tarântula - Thierry Jonquet - Gosto de Canela

Richard Lafargue, um renomado cirurgião plástico que mantém uma jovem mulher, Ève, como prisioneira em um cômodo de sua casa. Ao passo que demonstra ódio por Ève, Richard tem cuidado, beirando o carinho e afeto. Vemos um ser humano sendo  levado ao extremo, acorrentado, sem contato com luz, roupas e dignidade. Richard tira tudo de Ève e aos poucos vai devolvendo, à sua maneira, e nós, meros sádicos esperamos para entender o que Richard realmente planeja e porquê de tanto ódio e dureza.

Mentalmente, você dera um nome a seu amo. Não se atrevia a usá-lo em sua presença, naturalmente. Chamava-o Tarântula, em alusão a seus terrores passados. Tarântula, um nome de ressonância feminina, um nome de animal repugnante que não combinava com o sexo dele nem com a extrema sofisticação de que ele dava mostra na escolha de seus presentes…

O ambiente é escatológico, hipnótico, improvável, e ler tentando adivinhar o final é perda de tempo. A sequência de fatos nos desafia e as relações entre os personagens são perturbadoras e violentas. Não quero contar muito do livro, porque acredito que ficar narrando o que já vai ser narrado estraga um pouco da primeira leitura; ainda mais num livro como esse. Então, prefiro parar por aqui.

Lemos não somente alguém em um cativeiro, lemos um questionamento sobre o que é identidade; o que faz de alguém um homem, ou mulher; quais são as circunstâncias para ter afeto e desejo por alguém.

São apenas 158 páginas; 158 páginas de um livro genuíno, bem estruturado, de alguém que soube escolher um tema e não se manteve num discurso moralista. Um livro que prova que em poucas páginas você pode ter mais aprofundamento (e quem sabe literatura e repertório) que muito calhamaço por aí. 

Se eu recomendo a leitura? Claro e quantas vezes forem. E recomendo que vejam o filme também, porque foi uma obra realmente baseada no livro e não uma adaptação empobrecida. Há um final diferente, sequências diferentes e chego a dizer que interpretações diferentes. Vai ser como ver duas histórias distintas, partindo de um mesmo princípio. Segue o trailer para quem ainda não viu:


Sigam no Facebook e no Bloglovin | Assine a newsletter e receba um resumo mensal do que rolou por aqui!

Anúncios

9 opiniões sobre “Tarântula – Thierry Jonquet

  1. Pingback: Livros para 2015 | Gosto de Canela

  2. Nossa, Ingrid! Eu não sabia desse livro e simplesmente amei, tô morrendo de vontade de ler agora. Faz muito tempo que eu assisti ao filme.. e nossa, muuuuuuuuuuuito bom! Então tenho certeza que vou gostar do livro também, tô super curiosa pra ver toda a trama, já que você disse que mesmo seguindo de um mesmo principio, é como ver outra história. Super dica!!

  3. Oie! 🙂

    Lembro de já ter visitado blog seu há alguns anos… Que bom te rever por aqui! 🙂

    Bom, ultimamente tenho adorado ver sugestões de livros, porque voltei a ler há pouco tempo. Porém não gosto de nada muito cult. Será que esse é pra mim?? Me interessei, mas tenho medo de não entender nada! Oo

    Beijos! =**
    http://www.misscrazyy.blogspot.com.br/

  4. Adorei esse filme! É um dos meus favoritos do Almodóvar, principalmente pq ele dá uma nova visão ao tema recorrente dele, que seria meio que essa questão da homo/transexualidade. Queria ler esse livro também… quem sabe um dia :((((

  5. 158 pp? que maravilha. Fiquei com vontade mesmo e sobre o filme: o nome me é familiar mas tbm nunca assisti. Vlw pelas dicas!
    Gosto muito desses teus posts de livros. Eu tô com o rascunho de post de uma leitura q fiz mês passado e tô há tempos pra terminá-lo. Socorrrr

    sai de mim protelação T.T

    ps: sua unha voltou a crescerrrrrrrr! ♥

  6. já estou louca por esse livro! eu gostei demais da pele que habito e esse livro desse ser mesmo muito bom (ah, por falar em almodovar, já assistiu “fale com ela?” recomendo!)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: